Importado do México, modelo tem 16 cv a mais que o brasileiro

Com dois anos de atraso, a Honda enfim começa a vender a terceira geração do Fit na Argentina. E a surpresa é que ele vem do México, e não do Brasil, que está com a capacidade de produção quase no limite em Sumaré (SP) - a fábrica de Itirapina, já construída, deverá ser inaugurada somente em 2018.

Por vir do mercado mexicano, o Fit dos hermanos tem algumas diferenças para o nosso. A principal delas está debaixo do capô: é a versão atualizada do motor 1.5 i-VTEC, agora com injeção direta, que rende 132 cv de potência e 16,8 kgfm de torque, contra 116 cv e 15,3 kgfm da versão flex nacional. O câmbio é o conhecido automático CVT com simulação de 7 marchas e borboletas no volante, como na versão EXL brasileira.

 

Honda Fit Argentina

 

Na Argentina, o Fit será vendido em versão única de acabamento e equipamentos, trazendo ar digital, bancos de couro, fixação Isofix, central multimídia com câmera de ré e airbags frontais. Em relação ao modelo anterior, perdeu os freios traseiros a disco e segue sem o controle de estabilidade ESP.

Com preço de 385 mil pesos (equivalente a R$ 79.900), o Fit tem garantia de 3 anos ou 100 mil km no país vizinho.

Fotos: divulgação        

Seja parte de algo grande