Acordo prevê 250 mil motores exportados até 2020. Presidente da VW confirmou Polo ainda para 2017

A Volkswagen confirmou nesta quarta-feira (3) que exportará o motor 1.4 TSI, já presente no Golf e no Jetta produzidos no país, para o México. O contrato de exportação prevê a produção de 250 mil motores até 2020. As exportações para Puebla começam no segundo semestre de 2017, onde ele equipará os modelos que já citamos mais a Golf Variant.

Leia também:

Ao contrário do que imaginávamos, o motor 1.4 TSI já é feito no Brasil desde 2015. A informação que tínhamos até hoje era que ele era importado da Alemanha, mas a produção nacional teve início em agosto de 2015. Só o virabrequim continuou a ser importado, mas ele foi nacionalizado em março de 2016, algo que contraria o próprio release da VW, que informa que o motor só começou a ser feito no Brasil em 2016. O investimento na exportação do 1.4 TSI foi de cerca de R$ 50 milhões, que se somaram aos R$ 460 milhões anunciados em 2015 na fábrica de São Carlos, de onde sairão os motores.

 

VW 1.4 TSI nacional

 

Além do Golf e do Jetta, o Polo também deve contar com essa motorização. David Powels, presidente e CEO da Volkswagen do Brasil e América do Sul, confirmou no evento que o Polo chegará ao Brasil no segundo semestre de 2017. O Virtus, versão sedã do Polo, ficará apenas para 2018, apesar de Herbert Diess, presidente do conselho de administração da Volkswagen, ter dito que ele chegaria ainda em 2017.

 

Flagra - Volkswagen Polo 2018

 

É uma pena que o contrato de exportação seja para o motor 1.4 TSI e não para a produção nacional e exportação do 1.5 TSI, que é o usado pela marca na Europa atualmente. Mais sofisticado, com desligamento de cilindros e consumo bem menor do que o 1.4, apesar de ter a mesma potência, ele colocaria os mercados latino americanos em compasso com o europeu, mas deve ter sido considerado caro demais.

(Com informações de Júlio Cesar)

Fotos: divulgação

Seja parte de algo grande

Motor VW 1.4 TSI - Nacional

Foto de: Julio Cesar
Ocultar press releaseMostrar press release

De São Carlos para o México: Volkswagen anuncia novo e relevante contrato de exportação de motores, trazendo mais divisas para o Brasil

→   O projeto de exportação contará com investimentos de aproximadamente R$ 50 milhões, adicionais aos R$ 460 milhões anunciados em 2015 para a fábrica de São Carlos

→   O propulsor EA211 1.4l TSI será exportado para o México para equipar os modelos Jetta, Golf e Golf Variant

→   O projeto de exportação tem início neste ano e se estenderá até 2020, com a produção de cerca de 250 mil motores

 

São Carlos, 03 de maio de 2017 – A fábrica de motores da Volkswagen do Brasil, localizada em São Carlos (SP), foi uma das escolhidas, dentre todas as operações da marca no mundo para exportar o motor 1.4l TSI que irá equipar os modelos Jetta, Golf e Golf Variant produzidos no México. O início da exportação para a fábrica de Puebla, onde os modelos são produzidos, está previsto para o segundo semestre de 2017 e se estenderá até 2020, totalizando um volume de cerca de 250 mil motores.

“O projeto de exportação conta com investimentos de aproximadamente R$ 50 milhões, adicionais aos R$ 460 milhões anunciados em 2015. A fábrica de São Carlos tem recebido aportes constantes para a modernização de seus processos para a fabricação de novos produtos, tornando-a ainda mais competitiva e estratégica para o Grupo Volkswagen”, disse David Powels, presidente e CEO da Volkswagen do Brasil e América do Sul (SAM).

No final de 2015, a fábrica de São Carlos já havia sido selecionada dentre todas as operações da marca no mundo para exportar blocos de motores 1.0l da família EA211 para a produção de propulsores que equipam os modelos Polo e up! na Europa. 

O aporte contempla gastos com desenvolvimento tecnológico, investimentos em adaptação de linhas de usinagem de bloco do motor, montagem e testes do motor, bem como despesas para certificação e homologação do produto.

Para produzir a versão 1.4 TSI para exportação, as linhas de usinagem e de montagem do prédio EA211 receberam adaptações para atender a complexidade do processo produtivo que envolve este modelo, que conta com maior quantidade de componentes comparado às demais versões já produzidas, por possuir uma calibração diferenciada, dadas às diferentes normas, temperaturas e combustível utilizado em outros mercados.

“Os propulsores produzidos no Brasil são fabricados em processos com tecnologia de última geração. A eficiência do produto e processo nos permitiu ser escolhidos também para atender outros importantes mercados, como o mexicano”, disse Antônio Pires, Vice-Presidente de Operações da Volkswagen do Brasil.

“Outro fator que foi determinante para a conquista dessa operação foi o recente acordo coletivo fechado pela empresa com o Sindicato e empregados da fábrica de São Carlos, que estabeleceu melhores condições de competitividade para a unidade nas questões trabalhistas”, explicou o Vice-Presidente de Recursos Humanos da Volkswagen do Brasil, Nilton Junior.

“Investimos também na constante qualificação dos nossos profissionais, o que nos permite produzir os motores globais da marca. Além de adaptações em nosso processo produtivo, reforçamos também o desenvolvimento de novos treinamentos para os empregados que atuarão diretamente com este produto”, destaca Marcus Gorisch, gerente executivo da fábrica de São Carlos.

Sobre a Fábrica da Volkswagen do Brasil em São Carlos

Com mais de 10 milhões de motores produzidos em seus 20 anos de atividades, completados em outubro de 2016, a unidade é responsável pela produção dos propulsores da família EA211 nas versões 1.0l MPI, 1.0l TSI, 1.4l TSI e 1.6l MSI, que equipam os modelos up!, cross up!, Fox, CrossFox, SpaceFox, Space Cross, Golf, Novo Gol, Novo Voyage, Nova Saveiro e Nova Saveiro Cross. Em São Carlos, também é fabricado o consagrado EA111 1.6l, presente nos modelos Gol, Fox, Voyage, SpaceFox e Saveiro. Para o mercado brasileiro, 100% dos produtos recebem a tecnologia bicombustível Total Flex. Para o mercado externo são produzidos motores a gasolina.

Cronologia:

1996: Inauguração da fábrica em São Carlos

1997: Primeira unidade do Grupo Volkswagen, fora da Europa, a conquistar a certificação ambiental ISO 14001

1999: Produção do primeiro motor turbo do Brasil 

2000: Comemoração do marco de 1 milhão de motores produzidos

2003: Produção do primeiro motor 1.0l com a tecnologia Total Flex do Brasil

2012: Implementação de nova linha de usinagem de Blocos e aumento da capacidade produtiva

2013: Inauguração de novo prédio produtivo responsável pela fabricação da família EA211

2014: Comemoração do marco de 9 milhões de motores produzidos

2015: Produção do primeiro 1.0l TSI Total Flex produzido no Brasil, com investimentos de R$ 460 milhões, e exportação de blocos de motores EA211 para fábrica de Chemnitz, Alemanha

2016: Comemoração de 20 anos de atividades, 10 milhões de motores produzidos e início da fabricação do virabrequim e do motor 1.4 TSI  

 

Sobre a Volkswagen do Brasil

A Volkswagen do Brasil é uma das maiores empresas privadas do País. A empresa conta com uma ampla rede de distribuição, com aproximadamente 570 concessionárias no território nacional, e quatro fábricas: São Bernardo do Campo, Taubaté e São Carlos, em São Paulo, e São José dos Pinhais, no Paraná. Ao longo de sua trajetória de mais de seis décadas no País, a Volkswagen do Brasil acumula marcas expressivas: mais de 22 milhões de veículos produzidos, mais de 3,5 milhões de veículos exportados e vendas internas que superam 18 milhões de unidades. A unidade de São Bernardo do Campo foi a primeira a fábrica construída pela Volkswagen fora da Alemanha. A vivência da empresa no Brasil deu origem a um compromisso que vai além de produzir veículos: a marca se compromete com o desenvolvimento sustentável, promovendo iniciativas de proteção ambiental, educação e desenvolvimento social.