Acordo prevê 250 mil motores exportados até 2020. Presidente da VW confirmou Polo ainda para 2017

A Volkswagen confirmou nesta quarta-feira (3) que exportará o motor 1.4 TSI, já presente no Golf e no Jetta produzidos no país, para o México. O contrato de exportação prevê a produção de 250 mil motores até 2020. As exportações para Puebla começam no segundo semestre de 2017, onde ele equipará os modelos que já citamos mais a Golf Variant.

Leia também:

Ao contrário do que imaginávamos, o motor 1.4 TSI já é feito no Brasil desde 2015. A informação que tínhamos até hoje era que ele era importado da Alemanha, mas a produção nacional teve início em agosto de 2015. Só o virabrequim continuou a ser importado, mas ele foi nacionalizado em março de 2016, algo que contraria o próprio release da VW, que informa que o motor só começou a ser feito no Brasil em 2016. O investimento na exportação do 1.4 TSI foi de cerca de R$ 50 milhões, que se somaram aos R$ 460 milhões anunciados em 2015 na fábrica de São Carlos, de onde sairão os motores.

 

VW 1.4 TSI nacional

 

Além do Golf e do Jetta, o Polo também deve contar com essa motorização. David Powels, presidente e CEO da Volkswagen do Brasil e América do Sul, confirmou no evento que o Polo chegará ao Brasil no segundo semestre de 2017. O Virtus, versão sedã do Polo, ficará apenas para 2018, apesar de Herbert Diess, presidente do conselho de administração da Volkswagen, ter dito que ele chegaria ainda em 2017.

 

Flagra - Volkswagen Polo 2018

 

É uma pena que o contrato de exportação seja para o motor 1.4 TSI e não para a produção nacional e exportação do 1.5 TSI, que é o usado pela marca na Europa atualmente. Mais sofisticado, com desligamento de cilindros e consumo bem menor do que o 1.4, apesar de ter a mesma potência, ele colocaria os mercados latino americanos em compasso com o europeu, mas deve ter sido considerado caro demais.

(Com informações de Júlio Cesar)

Fotos: divulgação

Seja parte de algo grande