Industria de autopeças se complica e vai para o centro do escândalo de emissões mais uma vez

Com o recente questionamento sobre as emissões de motores diesel da GM, a Bosch, maior fornecedora de autopeças do mundo, começa a ficar em uma situação delicada. Afinal, trata-se da quarta montadora que trabalha com componentes da empresa a se envolver no escândalo de emissões.

Leia também:

De acordo com as informações da agência Automotive News, a nova acusação que pesa contra a fornecedora, envolvendo também a General Motors e movida por proprietários de picapes diesel, coloca a Bosch no centro do furação. Afinal de contas, ela já esteve envolvida também com o Dieselgate, da Volkswagen, com um caso contra Mercedes-Benz e contra a FCA. Em todos eles, o elemento em comum é a central de controle EDC-17, que gerencia os motores diesel e controla as emissões. Ela é fabricada pela Bosch. 

 

Duramax turbodiesel engine

 

A nova acusação afirma que tanto GM quanto Bosch não só participaram do desenvolvimento do software fraudulento, como também de um esquema para evitar que os órgãos reguladores dos EUA descobrissem a real função do dispositivo.

Outra informação ressaltada é que a história da Bosch com a Volkswagen no Dieselgate fornece muitos elementos sobre a cooperação das duas empresas para produzir o software fraudulento. Neste caso, a Bosch não admitiu culpa, mas concordou em pagar US$ 327,5 milhões para encerrar a demanda judicial. 

Em comunicado, a empresa afirmou que leva as alegações de manipulação de software muito a sério. "A Bosch está cooperando com as investigações em várias jurisdições e vai defender seus interesses no litígio." 

Fonte: Automotive News 

Seja parte de algo grande