Cerca de 80% das vendas do crossover correspondem à versão Hybrid

Em um passado não muito distante, oferecer versões diesel era fator determinante para o sucesso de um carro ou fabricante na Europa. Depois do Dieselgate, a roda do mercado girou. Hoje em dia, a ausência de motores do tipo já não representa uma desvantagem comercial tão grande por lá. Prova disso é o bom momento vivido pela Toyota no continente com o C-HR. Representante da marca em um dos segmentos que mais crescem no mundo, o crossover tem feito tanto sucesso que já é o terceiro carro mais emplacado da montadora no continente. Produzido na Turquia com o compacto Yaris, ele concentra na versão Hybrid nada menos 80% do total de emplacamentos. A oferta de um propulsor turbodiesel, definitivamente, não faz a menor falta.

Leia também:

Toyota CH-R 2017

 

Nesta versão, inclusive, o C-HR compartilha com o Prius praticamente todo o conjunto mecânico. Sob o capô, o motor 1.8 a gasolina de 98 cv vem combinado a um propulsor elétrico de 72 cv. Juntos, ele fornecem uma potência combinada de 122 cv. Dados de fábrica apontam aceleração de 0 a 100 km/h em 11 segundos e máxima de 170 km/h, com um consumo médio de 26,3 km/l.

 

Toyota CH-R 2017

 

No mundo todo, o C-HR é um rival ferrenho para o Honda HR-V, o líder de vendas entre os SUVs compactos no Brasil. A Toyota, porém, diz que não tem planos de trazê-lo para cá. Pelo menos por ora, já que o modelo é fabricado sobre a plataforma TNGA, a mesma que estará sob a nova geração do Corolla. Talvez tenhamos de esperar pela renovação do sedã para ter o crossover por aqui. Se a fábrica conseguir suprir a demanda...

Colaborou Gustavo Henrique Ruffo

Fotos: divulgação 

Seja parte de algo grande