Comercialização deve começar pela versão Premier, a mais cara, com motor 2.0 turbo de 262 cv

O maior lançamento da GM para este ano no Brasil será importado. Pelo menos é o que a marca vem dizendo desde o começo do ano, no Salão de Detroit, a respeito do Chevrolet Equinox. Substituto do Captiva Sport, ele também virá do México e está previsto para chegar em outubro ao Brasil. Inicialmente apenas na versão mais cara, a Premier, equipada com motor 2.0 turbo de 262 cv e 37 kgfm, transmissão automática de 9 marchas e tração nas quatro rodas.

Leia também:

Com 4,65 m de comprimento, 1,84 m de largura, 1,66 m de altura e um entre-eixos de 2,73 m, o Equinox já está em sua terceira geração. Mas ficou menor nesta em razão de sua plataforma, a mesma D2XX do Chevrolet Cruze.

 

Chevrolet Equinox

 

Além da versão Premier, o Equinox oferece também as versões L, LS e LT. Tanto em versão com tração dianteira quanto nas quatro rodas. Isso nos EUA. No México, onde o modelo é fabricado, o que ainda está à venda é o Equinox antigo...

 

Chevrolet Equinox

 

A curiosidade é que o Equinox tem, por ora, apenas o motor 1.5 de 4 cilindros turbinado de 173 cv e 28 kgfm em oferta. Com uma transmissão automática de 6 marchas. Foi com este motor, inclusive, que escrevemos a primeira avaliação do crossover médio. O 2.0 deve ser oferecido nos EUA mais adiante, assim como o 1.6 turbodiesel de 137 cv e 32,6 kgfm.

 

Chevrolet Equinox

 

Diz a GM que o modelo terá, obviamente, preços entre os do Tracker e os do TrailBlazer. O caso é que a Premier ficará muito mais próxima do último do que do primeiro, o que nos leva a apostar na importação do modelo com motor 1.5 em pouco tempo. Seria o que permitiria à marca ampliar os volumes de venda neste segmento. A restrição à Premium se explicaria por uma forma natural de restringir a demanda, para não ultrapassar a cota de importação do México.

Fotos: Leo Fortunatti

Seja parte de algo grande