Interior refinado, mais itens de série e preços mais competitivos serão as armas do novo EcoSport

Ford EcoSport 2018 em Buenos Aires

 

Creta, Renagade, HR-V, Kicks e Duster. A lista de concorrentes cresceu muito nos últimos anos e vem mais por aí. Conversamos na Argentina com o pai do projeto EcoSport 2018, o engenheiro Rafael Marzo, que detalhou as principais novidades do renovado SUV feito no Brasil recebeu para voltar a ser protagonista no segmento mais disputado do momento.

Marzo começou explicando que a Ford realizou pesados investimentos na linha de montagem para aumentar a qualidade de construção para atender outros mercados, lembrando que a marca sempre priorizou a segurança de seus modelos. Um dos objetivos é exportar o modelo nacional para mercados mais maduros.

Leia também:

Gerente do projeto, o engenheiro também explicou que o novo EcoSport 2018 representa para a Ford uma revolução baseada em três pilares. O primeiro é o do interior, que salta em termos de qualidade. Além do novo painel emborrachado confeccionado com materiais mais nobres (abandonando os plásticos rígidos), também ganha novos bancos mais confortáveis, novos painéis de portas e ergonomia aperfeiçoada.

 

Novo EcoSport 2018

 

O segundo é a da tecnologia. Enfim, um modelo da Ford ganha uma tela multimídia grande parelha às dos rivais. Instalada de forma flutuante no painel, abriga uma central multimídia de 8" com o sistema Sync 3, compatível com Android Auto e Apple CarPlay, enquanto o som é fornecido pela Sony com 9 alto-falantes. A central multimídia que você vê nas fotos é a da versão Titanium, mas, segundo um executivo da marca, todas as versões terão telas (provavelmente em menor tamanho). Para os conectados, há ainda duas entradas USB no console.  

Desempenho é terceiro pilar citado. E há motivos para isso. Para os entusiastas, a Ford oferecerá o EcoSport equipado com o mesmo motor 2.0 do Focus, que, dotado de injeção direta, entregará 175 cv no SUV (vale lembrar que o motor antigo entrega 142 cv). Associado a este motor está o câmbio automático de seis marchas, substituindo o queimado automatizado Powershift. A Ford acredita que esta configuração represente 20% do volume total de vendas. A outra opção é a estreia mundial do novo motor 1.5 Dragon de 3 cilindros, que entregará 137 cv (quase a mesma potência do antigo 2.0) e a promessa de baixo consumo de combustível. 

A única versão em que conseguimos entrar foi a Titanium. Nela, o acabamento será bicolor, com o tom escuro na parte de cima do painel enquanto a de baixo traz o tom creme, assim como o revestimento em couro dos bancos e painéis das portas. A impressão inicial é a de que o novo acabamento o coloca como um dos melhores do segmento. Mais completa, tem itens como faróis de xenônio com luzes de rodagem diurna em LED, teto solar e ar-condicionado digital. 

Versão Freestyle

 

Ford EcoSport 2018 em Buenos Aires

 

Enquanto o jogo de luzes destacava a apresentação da versão topo de linha do novo EcoSport, a configuração mais vendida foi mostrada discretamente na lateral do palco durante a avant-première realizada em Buenos Aires. Como a iluminação local prejudicada, as fotos limitam um pouco a visibilidade das diferenças em relação à Titanium, mas é possível notar o acabamento grafite na grade dianteira, nos retrovisores, maçanetas e rack no teto.

 

Ford EcoSport 2018 em Buenos Aires

 

As rodas de liga leve de aro 16" também possuem pintura no mesmo tom. Embora o acesso ao interior estivesse fechado, um executivo confirmou que, nesta versão, o interior terá acabamento totalmente escuro.

Para colocar novamente o EcoSport no topo, a marca promete preços agressivos. "O novo EcoSport completo terá preço na faixa em que os concorrentes são vendidos em sua versão de entrada", destacou um executivo ao Motor1.com.

Fotos: Fábio Trindade

Viagem a convite da Anfavea

Seja parte de algo grande

Ford Ecosport 2018 em Buenos Aires