Primeiros modelos a ser dotados com a tecnologia devem ser os da família I.D., elétricos

Se os automóveis conseguissem conversar uns com os outros, o trânsito seria melhor. A segurança seria reforçada, com mais previsibilidade em cruzamentos e interseções nas estradas. Essa tecnologia, chamada de V2V, se tornará realidade em 2019, se depender da Volkswagen. A empresa anunciou que dotará seus primeiros veículos com pWLAN (IEEE 802.11p), o protocolo de comunicação que servirá a essa tecnologia, a partir daquele ano.

Leia também:

A marca não entrega quais serão os modelos a estrearem a tecnologia, mas a imagem que ela divulgou para ilustrar a notícia traz dois modelos da família I.D., de elétricos. O hatch, chamado apenas de I.D., e o crossover mostrado no Salão de Xangai, o I.D. Crozz. Por coincidência, um vazamento recente mostra quando estes modelos começarão a chegar ao mercado: exatamente em 2019.

 

VW I.D. Lineup

 

O I.D. Crozz de produção terá inclusive o nome mais convencional, Cross. A Volkswagen tem planos de vender 1 milhão de modelos elétricos até 2025. E que estes modelos tenham capacidade autônoma plena, chamada de nível 4.

A tecnologia V2V é considerada fundamental para os veículos autônomos e pode ser expandida para uma comunicação com os elementos de infraestrutura da via, como semáforos, uma tecnologia chamada de V2I ou V2X (vehicle to infrastructure ou vehicle to everything).

 

VW I.D. Crozz concept

 

Se todos os veículos dispusessem do sistema, eles poderiam trocar informações sobre acidente, obstáculos ou mesmo engarrafamentos em um raio de até 500 m. É distância suficiente para desviar o caminho ou ficar atento aos eventuais problemas. Além disso, garante mais fluidez no trânsito e menor consumo de combustível. Se os carros pudessem se comunicar com os semáforos, saberiam com bastante antecedência se deveriam diminuir a velocidade para poder pegar o sinal verde. A Audi, que faz um piloto do sistema em Las Vegas, diz que a economia pode chegar a 15%.

Para que a tecnologia V2V saísse da teoria e se tornasse um aspecto prático e cotidiano, era preciso que algum fabricante assumisse a responsabilidade de trazê-la ao mercado. Ao que parece, será a Volkswagen que domará este touro. A não ser que algum concorrente, de olho no prazo, queira tirar da empresa esta primazia. Uma saudável concorrência em benefício de um trânsito menos desgastante. E perigoso.

Fotos: divulgação

Seja parte de algo grande