Sistema permite usar os próprios painéis do carro para reproduzir música com alta fidelidade

A revolução automotiva já permeou motor, transmissão e diversos componentes. Só o sistema de som andava meio esquecido. Se não contarmos conectividade e sistemas digitais de transmissão e reprodução, ele seria basicamente o mesmo há décadas. Com os mesmíssimos alto-falantes dos rádios valvulados. Mas a Continental apresentará uma solução revolucionária no próximo Salão de Frankfurt, o Ac2ated Sound. Que, basicamente, dispensa o uso de alto-falantes, tornando diversas superfícies do veículo em reprodutoras de sons. Com uma economia de peso e de consumo de energia impressionantes.

Leia também:

Especialistas da Continental em acústica e em painéis automotivos, respeitando os princípios de NVH (noise, vibration and harshness, ou ruído, vibrações e aspereza), conseguiram transformar os painéis da carroceria em componentes geradores de som. As colunas A, por exemplo, produzem sons de alta frequência. Os painéis das portas, sons de média frequência. E o teto, por ser uma peça de grandes dimensões, consegue gerar sons de baixa frequência. O segredo é o uso de transdutores, semelhantes aos usados nos alto-falantes, mas aplicados aos painéis em vez de a cones.

 

Continental Ac2ated Sound

 

O princípio é o mesmo de um violino, com excitação (provocada pelos transdutores, ou o arco e as cordas do instrumento), transferência (realizada por uma tecnologia de ligação, ou pela ponte, no violino) e a radiação (feita pelo painel, ou pelo corpo do instrumento). "Não é necessário integrar alto-falantes com membranas oscilantes se você já tem todas as superfícies de que precisa no automóvel", diz Dimitrios Patsouras, diretor do centro de competência em NVH da Continental Engineering Services.

 

Continental Ac2ated Sound

 

Enquanto um sistema de som convencional tem até 15 kg de peso e ocupa um volume de até 30 litros, o Ac2ated Sound pesa 1 kg e ocupa 1 litro de espaço. Isso economiza um bocado de massa, algo fundamental para tornar os veículos mais eficientes. Especialmente os elétricos, que ganham autonomia se puderem carregar menos peso. O sistema também consome menos eletricidade, mas o maior benefício, segundo a Continental, é a qualidade do som. A empresa cita a aprovação do mestre luthier de Landsberg, Martin Schleske, como prova da qualidade do Ac2ated Sound.

Ainda não há previsão de quando o sistema será oferecido no mercado, mas é bem possível que ele chegue primeiro a modelos mais caros para, pouco depois, se espalhar também por veículos mais em conta. Afinal, ele tende a ser mais barato, pelo uso de menos material, embora tenha um desenvolvimento mais caro. Vejamos em Frankfurt as perspectivas que o Ac2ated Sound reserva para quem aprecia música além da do motor.

Fotos: divulgação

 

Seja parte de algo grande