Será que essa mudança atingirá o Brasil?

2017 Citroen C3 Aircross

 

No Brasil, temos o 1.2 PureTech aspirado para o Peugeot 208 e Citroën C3. No exterior, ele tem uma variante com injeção direta de combustível e turbo que é uma opção em quase toda a gama das duas marcas francesas, seja em compactos ou modelos maiores, como o 3008. Ambos são fabricados na França e enviados a seus respectivos mercados. Menos à China. Lá, o 1.2 turbo é feito pela Dongfeng, uma empresa local parceira da PSA. De olho em melhor aproveitamento desta parceria - e redução de custos -, estes motores chineses começarão a abastecer a Europa e já estão sendo produzidos em Xiangyang.

Leia também:

A previsão é de que 55.000 motores serão enviados para o Velho Continente até maio de 2018. O Brasil pode ganhar com isso? Talvez. 

 

Teste CARPLACE: Peugeot 208 1.2 PureTech em busca dos 20 km/l

 

Não é segredo que a PSA já testou o 1.2 PureTech turbo no Brasil. É um candidato a substituto do 1.6 flex que equipa C3, 208 e 2008, mas trocar um motor nacional por um importado da Europa aumentaria os gastos e, consequentemente, o valor do carro. E, no atual momento da economia e das vendas de automóveis, prejudicar o custo/benefício não é uma boa ideia. Uma opção seria justamente este motor chinês, que tem a mesma especificação do europeu, mas é, em teoria, mais barato. 

Não estamos afirmando que a PSA do Brasil fará isso, mas é uma opção para o grupo. Pensando mercadologicamente, é viável e, finalmente, colocaria o moderno propulsor como opção no país. 

Fotos: divulgação e arquivo Motor1.com

Seja parte de algo grande