Unidade produz componentes para os modelos Ka, Fiesta, EcoSport e Focus

Funcionários da fábrica de motores e transmissões da Ford em Taubaté (SP) cruzaram os braços nesta segunda-feira (3), sem previsão de volta à normalidade. De acordo com o sindicato que reúne os metalúrgicos locais, a paralisação tem o objetivo de discutir com a empresa questões relacionadas à escala de trabalho. A entidade exige jornada de segunda a sexta-feira com folgas aos sábados e domingos para todos os trabalhadores e diz que a montadora quer orientar o funcionamento da fábrica com base em um acordo já vencido.

Leia também:

A Ford, por sua vez, alega que todos os funcionários têm 2 folgas semanais, mas que, por uma questão de escala, parte da turma descansa no domingo e em algum outro dia da semana. Os trabalhadores reclamam que o acordo que permitia essa escala venceu em novembro em 2016 e que o esquema prejudica os funcionários que têm as folgas separadas. O sindicato diz ainda que a greve será mantida até a negociação.

 

Ford reduz preços do New Fiesta em até R$ 3.900

 

A fábrica emprega ao todo 1.600 pessoas e é responsável pela produção dos motores flex 1.5 (usado pela família Ka e pelas configurações de entrada do Fiesta) e 1.6 (presente no Fiesta, no Focus e no EcoSport). Em versões movidas apenas a gasolina, estes mesmos propulsores também equipam modelos exportados para México, Argentina e Venezuela.

Fotos: divulgação

Seja parte de algo grande

Ford Ka Trail 1.0 2017