Projeto contou com a supervisão de ninguém menos do que Hans Mezger, criador do motor original

Você nunca ouviu a gente falar sobre a Singer aqui, mas, se é fã de Porsche, certamente já a conhece. Essa empresa é famosíssima por modificar 911 clássicos, sempre com motor a ar, como os puristas apreciam, e com detalhes técnicos fantásticos, como peças de fibra de carbono, para deixar a carroceria mais leve, e um acabamento de primeira. Fora toda a preparação de mecânica. Que a empresa quer levar a um outro patamar. Tanto que fez um acordo com a William Advanced Engineering para criar novos motores para seus 911 personalizados.

Leia também:

A base do projeto é o motor boxer de 6 cilindros de 3,6 litros do Porsche 911 de 1990, sobre o qual a Singer e a Williams criaram um obra de arte. Com capacidade cúbica ampliada para 4 litros e duplo circuito de óleo, ele terá potência ampliada para 507 cv. Sem turbo. Tudo por conta da preparação, que inclui coisas como injetores superiores e inferiores e cabeçotes com 4 válvulas por cilindro. E da supervisão de um cara chamado Hans Mezger, que você talvez não conheça, mas que é o responsável pelo motor 3.6 original. A cereja do bolo é a faixa de corte de giro, em 9.000 rpm.

 

Singer-Williams Engine Collaboration

 

Mezger e a Williams trocaram uma série de componentes por outros. Eles são feitos de titânio, como o sistema de escapamento, de magnésio e de fibra de carbono, como a que é usada para fazer as caixas de ar, que contam com ressonadores ativos de múltiplos estágios. Os corpos de borboleta são de alumínio. Tudo para que o motor seja o mais leve possível. Para um modelo que anda com o motor pendurado atrás do eixo traseiro, como o 911, isso é ouro. Ainda mais um motor de 507 cv.

 

Singer-Williams Engine Collaboration

 

O 911 em que essa joia mecânica será instalada ainda não foi revelado, mas já sabemos que ele pertence a Scott Blattner. Ele é presidente da D.H. Blattner & Sons, Inc., uma empresa enorme de construção nos EUA. E está mais do que animado com o que irá receber. "Minha jornada com a Singer Vehicle Design começou com a restauração de dois cupês. Em 2016, juntei a eles meu Targa, que correu recentemente no Festival de Velocidade de Goodwood. Fiquei intrigado sobre a possibilidade de ver ainda mais evoluções nos 911 e estou muito feliz em dividir os primeiros detalhes sobre o motor do meu carro", diz ele. O sr. Blattner mostra ser um homem refinado. De que adianta ter grana sem bom gosto, não é mesmo?

Fotos: divulgação

 

Seja parte de algo grande

Singer e Williams fazem parceria por novos motores