Indústria automobilística tem agosto histórico e aposta em crescimento de 25,2% para o ano

Enfim, a indústria automobilística brasileira começa a dar sinais de melhora, ou pelo menos, um futuro mais promissor, deixando para trás o "fundo do poço". Além dos investimentos anunciados neste mês (em especial o da GM), a produção de veículos, exportação e licenciamentos seguem crescendo.
 
De acordo com os dados divulgados pela Anfavea (associação dos fabricantes) nesta quarta-feira (6), foram produzidos 260.349 veículos no mês de agosto, número que representa crescimento de 15,4% em relação a julho. Prova de que a situação vem melhorando é o comparativo do resultado contra o mesmo mês do ano anterior que mostra o expressivo crescimento de 45,7%.
 
Em relação ao número de emplacamentos, o resultado também é motivo de comemoração. Em agosto foram emplacados 193.057 unidades, com crescimento de 17,7% em relação a julho e de 21% na comparação com o mesmo mês de 2016. Este é o melhor resultado mensal desde 2014.

Leia também:

Exportações em alta 

 
O Brasil já passou da barreira de meio milhão de veículos exportados neste ano, o melhor resultado histórico da indústria. Em agosto foram enviados 66.582 veículos brasileiros para diversos mercados da América Latina. Em relação a julho, o avanço foi de 1,6%, mas de expressivos 61,7% no comparativo com julho de 2016.
 

Empregos voltam a crescer 

 
O aumento do nível de empregos foi considerado o resultado mais importante do mês pelo presidente da Anfavea, Antônio Megale. Em agosto, a indústria automobilística abriu 1.107 postos de trabalho, avanço de 0,9% em relação a julho. Apesar do porcentual pequeno, Megale destacou que o número de trabalhadores em algum tipo de programa de proteção ao emprego foi reduzido de 12.198 para 6.320, indicador ainda mais positivo.

Indústria revisa crescimento para cima 

 
Dados os bons números obtidos e também o desempenho histórico de exportações, a Anfavea revisou a previsão de crescimento da indústria nacional para 2,7 milhões de unidades. Caso a economia não apresente um furacão no último quadrimestre, este número representará um crescimento de 25,2% em relação a 2016.
 
Nos licenciamentos, a expectativa também mudou, passando de 2,13 milhões de unidades para 2,2 milhões, avanço de 7,3%. Da mesma forma, a perspectiva em relação às exportações é bater o recorde histórico com o envio de 745 mil veículos brasileiros para os mercados vizinhos.

Seja parte de algo grande