Sindicato alemão exige que hatch seja feito somente em Wolfsburg

O Volkswagen Golf deixará de ser fabricado em Puebla (México) em 2019, para focar toda a produção na Europa. Segundo informações obtidas pelo site mexicano Al Volante, a marca vai ceder à pressão do sindicato dos metalúrgicos de Wolfsburg (Alemanha), que exige que o hatch médio seja produzido somente lá. E isso afetará também o Brasil, já que a perua Golf Variant vem de lá, além de que a exigência dos trabalhadores alemães podem ser mais um motivo para encerrar a produção nacional.

Leia também:

A produção da Volkswagen no México vem passando por mudanças desde o ano passado. No final deste ano, o Fusca deixará a linha de montagem, informação tida como certa embora a marca ainda não tenha confirmado. Em breve, iniciará a fabricação da nova geração do Tiguan, tanto na versão de cinco lugares quanto na Allspace de sete assentos, que será exportado para o Brasil e Estados Unidos.

 

 

Essa exigência do sindicato alemão ganha força com a queda das vendas do Golf em diversos países. No Brasil, todo o segmento dos hatches médios enfrenta dificuldades, perdendo participação a cada mês. O desempenho ruim tanto do Golf quanto de seus concorrentes levaram David Powels, presidente da Volkswagen para Brasil e América do Sul, a considerar a interrupção da produção nacional. É um plano de longo prazo, pois a fabricante prepara o lançamento da versão reestilizada do Golf e suas variantes para 2018.

Sem o Golf, a fábrica mexicana em Puebla deverá focar no sedã médio Jetta, que irá mudar de geração e deve começar a ser vendido por lá até março, além da nova geração da Tiguan e, ainda não confirmado, o crossover T-Roc.

Fonte: Al Volante
Fotos: Divulgação

Seja parte de algo grande