No lugar de crescimento no fechamento do ano, expectativa agora é de estabilidade

Os números de produção e vendas de motocicletas em setembro não foram animadores. Segundo a Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares), apenas a exportação registrou aumento no mês passado.

Leia também:

  SETEMBRO/2017 AGOSTO/2017 SETEMBRO/2016 ACUMULADO/2017 ACUMULADO/2016
PRODUÇÃO 76.668 80.192 (-4,4%) 80.509 (-4,8%) 652.192 712.999 (-8,5%)
VENDAS ATACADO 63.428 72.778 (-12,8%) 76.268 (-16,8%) 603.351  683.453 (-11,7%)
EMPLACAMENTOS 66.209 76.336 (-13,3%) 66.822 (-0,9%) 640.063 687.280 (-6,9%)
EXPORTAÇÕES 11.208 7.239 (+54,8%) 4.298 (+160,8%) 59.244 43.752 (+35,4%)

Este cenário muda as projeções para o fim de 2017. Se a expectativa era aumento de 2,5%, com total de 910.000 unidades até dezembro, agora a previsão é de 885.000 unidades - estabilização em comparação com o ano de 2016, que fechou com 887.653 unidades produzidas. As vendas no atacado deverão cair 5,4%, chegando a 813.000 unidades. 

No varejo, a queda deverá ser de 4,4%, fechando o ano com 860.000 unidades emplacadas, ante as 890.000 previstas anteriormente. A única alta será nas exportações, com 93.000 unidades, ou 57,6% de alta. 

De 14 a 19 de novembro, acontecerá o Salão Duas Rodas em São Paulo (SP), o que, segundo a associação, pode aumentar o interesse do público em motocicletas, além de outros fatores, como a estabilização da economia e inflação controlada. 

Seja parte de algo grande

Honda CG 160 Titan 2018